Papo com Líderes

Papo com Líderes


Produtividade Através Do Equilíbrio:

A saúde mental emocional e comportamental dos funcionários, é cada vez mais, observada pelas organizações, que desenvolvem programas de assistência por meio de empresas especializadas.

 

Solução:

“A promoção da saúde psicossocial e emocional dos funcionários visa reduzir custos, evitar o desgaste profissional, pessoal e familiar, diminuir a quantidade de afastamentos e, por consequência, reduzir o número de contratações temporárias por parte das organizações. Um trabalhador afastado repercute em todos níveis, desde o RH, que necessita buscar um substituto, sua própria área que fica desfalcada gerando sobrecarga para os outros funcionários, desgasta a imagem do afastamento perante a empresa, diminui sua autoestima e repercute no relacionamento familiar, gerando quedas importantes na PRODUTIVIDADE”.

A qualidade de vida nas organizações se dá por meio de ações que proporcionem mudanças de atitudes, como educar a liderança e funcionários para que eles tenham ferramentas que possibilitem identificar sintomas e sinais de maneira precoce, sem estigmas e preconceitos, prevenindo os custos diretos e indiretos que esses problemas acarretam quando diagnosticados tardiamente. O programa deve atuar na promoção, prevenção, intervenção, remediação e reintegração quando necessário.

 

Desafio do RH:

- Equilibrar vida pessoal e profissional está entre os três principais desafios da agenda do RH, ao lado da gestão e desenvolvimento de talentos.

- No Brasil, o Assunto assumiu o topo no ranking de prioridades.

“ A preocupação com o equilíbrio entre vida pessoal e profissional já está incorporada à nova geração e não tem volta”.

“É preciso olhar para esse tema como uma vantagem competitiva”.

 

Trabalhar qualidade de vida, questão de sobrevivência:

- Trabalhar o tópico qualidade de vida não é apenas de preocupação com o clima e o bem-estar, e muito menos uma questão de escolha. É, sim uma questão de sobrevivência.

- Empresa que, não atentarem para essa realidade vão continuar a somar seus elevados custos com a saúde dos funcionários e a perder talentos. “Quem ainda não está pensando nesse assunto irá perder competitividade rapidamente”.

 

PESSOAL DE SERVIÇO DA LINHA DE FRENTE

FONTE DE FIDELIDADE DE CLIENTES E VANTAGEM COMPETITIVA

 

  • A linha de frente é uma fonte importante de diferenciação e vantagem competitiva.
  • A linha de frente, com os funcionários, também estimula a fidelidade do cliente, desempenhando um papel fundamental na previsão de suas necessidades, adaptando a entrega de serviço e desenvolvendo relacionamentos personalizados com eles.

 

TRÊS CAUSAS PRINCIPAIS DO ESTRESSE:

  • Pessoas versus papel desempenhado: conflitos entre o que o trabalho exige e a própria personalidade, percepções e crenças do funcionário, baixa autoestima, falta de confiança em si.
  • Organização versus cliente: dilema entre seguir as regras da empresa e satisfazer às demandas dos clientes.
  • Cliente versus cliente: conflitos entre clientes que demandam intervenção do pessoal.

 

TRABALHO EMOCIONAL

“O ato de expressar emoções socialmente desejadas durante transações de serviço”.

  • A boa prática dos profissionais de RH enfatiza recrutamento seletivo, treinamento, aconselhamento, estratégias para avaliar o estresse.

 

O CICLO DE FRACASSO, MEDIOCRIDADE E SUCESSO

Um número grande demais de líderes adota premissas míopes sobre as implicações financeiras de:

  • Salários baixos;
  • Poucos investimentos (recrutamento, treinamento);
  • Estratégias de recursos humanos de alta rotatividade (turn over alto).

 

PARA TER VANTAGEM COMPETITIVA ALGUNS CUSTOS NÃO PODEM SER IGNORADOS:

  • Custos contínuos de recrutamento e treinamento;
  • Custos de deterioração do serviço enquanto o cargo permanece desocupado;
  • Perda do conhecimento do negócio e dos clientes adquirido pelo funcionário que vai embora;
  • Custos de clientes insatisfeitos.

 

Pense nisso e sucesso, Fátima Trindade – Consultora de RH, Coaching e Palestrante.



Comentários